sábado, 23 de setembro de 2017

O rei sem um dedo




Há muito tempo atrás existia um rei que não acreditava no Deus Vivo e Verdadeiro. Ele não via e nem acreditava na misericórdia e na bondade do Deus Todo Poderoso. Ele vivia sempre murmurando, reclamando e duvidando do Poder do Senhor. Mas ele tinha um servo fiel que, ao contrário do rei, cria e amava o Deus Altíssimo. E sempre que o rei murmurava, ele dizia: “Meu rei, não desanime nunca, pois Deus é fiel e tudo que Ele faz é perfeito. Ele não erra nunca”.
 Este rei gostava muito de caçar e um dia saiu com seu servo para os campos do reino. Mas a surpresa estava no meio do caminho: Uma hiena faminta, com cerca de 60 quilos, atacou o rei e este se defendeu com as mãos e perdeu um dedo estraçalhado pelos terríveis dentes deste carnívoro. O servo instintivamente, para salvar a vida do rei, atirou e matou a hiena que já se preparava para matá-lo. O rei com as mãos cheias de sangue, irritado e gritando muito dizia: “Você diz que Deus é bom e que Ele nunca erra”.
Então o que você me diz agora?
Se Deus é bom, porque Ele me deixou perder meu dedo?
Se Ele nunca erra como então deixou esta grande hiena nos atacar?
O servo humilde e calmamente diz a ele: “Meu rei, nós não devemos reclamar e sim sermos gratos por Deus ter nos protegido. Poderíamos estar mortos. Tudo que Deus faz é bom. Deus nunca falha. Deus nunca erra. Ele, somente Ele, sabe de todas as coisas”.
O rei se sentiu insultado pelo servo que o contrariara e o lançou na prisão.Um ano se passou e o rei novamente voltou a caçar. Ele caminhou, caminhou, caminhou e se afastou muito do seu reino. Entrou em terras estranhas e índios selvagens o prenderam.
Estes índios usavam humanos em sacrifícios aos seus deuses.
Não havia mais jeito. Os selvagens índios cantavam e se pintavam. O fogo foi acesso. Eles invocaram seus deuses e trouxeram o prisioneiro, o rei, que implorava por sua vida. Mas não adiantava nada. Ele ia morrer.
Mas um milagre então aconteceu: Quando era levado amarrado para o altar do sacrifício, um dos selvagens notou que o prisioneiro não tinha um dos dedos e imediatamente o soltaram. Eles estavam contentes por libertar o rei, pois quase sacrificaram - ao seu deus - Uma oferenda que não era perfeita. Faltava um dedo. O rei então voltou ao seu palácio e na viagem meditava sobre o livramento. E pensava: “Se eu não tivesse perdido um dos meus dedos, nesta hora eu estaria morto”.
Apressou-se pelo caminho e chegando ao palácio, imediatamente correu ao calabouço e deu ordens aos seus soldados que soltassem aquele que fora o seu melhor amigo. E, em lágrimas que corriam pelo seu rosto, dizia ao amigo: “Me perdoe meu amigo. Eu estava errado. Agora eu não tenho mais nenhuma dúvida. Tudo que Deus faz é bom mesmo. Estou muito triste por ter colocado você um ano nesta prisão imunda. Eu errei com você. Fui injusto contigo.  Me perdoe.  Me perdoe.  Me perdoe”.

O servo então com lágrimas nos olhos e abraçando ao seu amigo disse: “Não meu rei. Não diga isso. Tudo que Deus faz é bom. Deus nunca falha. Deus nunca erra”. Se você não tivesse me prendido eu teria ido caçar contigo e ambos seríamos presos e, como eu tenho todos os meus dedos, EU SERIA SACRIFICADO! "Deus nunca erra. Deus nunca falha. Ele me livrou da morte.” Tudo que Deus faz é bom e perfeito para todos nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário